18 fevereiro, 2018

A tentar ser pindérica....

Não foi de todo o fim de semana que tinha programado. 
Mas sabem que mais?!
Está um mega sol no Algarve, os dias já estão maiores e eu passei literalmente o sábado todo a comer com o meu pai.
Andei a comer minimamente bem durante a semana para apenas 1 sábado dar cabo de mim!
Foi vinho tinto ao almoço e verde ao jantar.
Foram batatas fritas com carne grelhada sem salada.
Foram “pijamas de sobremesa”, para lanchar não houve sequer apetite e quando dei por mim já estávamos noutro restaurante a jantar.
Comi uma grande Raia Alhada e um grande doce da casa.
Tudo isto só para vos deixar um outfit que definitivamente combina com estes dias, apesar de eu estar horrível de fato de treino porque não tenho uma única peça de roupa comigo este fds 😂. 





















14 fevereiro, 2018

Minhas amigas, acordem para vida, o mundo está cheio de pilas!


14 de Fevereiro......apenas se torna pindérico e bonito quando é vivido com continuidade.
Só tem valor quando amamos 365 dias por ano.
Só tem significado quando estamos presentes nas coisas mais pequenas do dia à dia.
Já agora... Sabem qual foi o melhor presente de S. Valentim que recebi até hoje?
Umas bandas depilatórias de cera para o buço.
Foi no meu primeiro de casada.... estávamos a viver sozinhos em Lisboa e os ordenados davam apenas para pagar despesas, não sobrava absolutamente nada e eu precisava de umas bandas depilatórias que custavam apenas 1.50€ +/- no pingo doce, nunca mais me esqueci.... Ele chega a casa com um pequeno embrulho e um cartão pequeno mega pindérico com um texto mesmo giro, quando abro o pequeno embrulho..... lá estavam elas, as minhas bandas depilatórios que tanto precisava.
Sabem o que ele fez?! Simplesmente deu-se ao trabalho de me ouvir e deu-me exatamente aquilo que eu precisava naquele momento. 
E chorei... ai como eu chorei de alegria. Era aquilo que eu precisava e foi exatamente aquilo que ele me deu.
São estes momentos que nos alimentão e fazem caminhar os dois de mãos dadas lado a lado.
No muito ou no pouco.
No mínimo queiram um príncipe encantado. Menos que isso mais vale vivermos solteirinhas, livres, leves e soltas para beijar na boca como diz a a música da minha Anitta!
  Se não estiveres ao lado da tua cara metade...... bem minha amiga, pilas há muitas por isso não percas tempo com a errada... 

27 janeiro, 2018

Os blogues devem ser feitos de verdades.

Chegamos aos últimos dias de Janeiro e eu só penso “Graças a Deus!”
Já viajei, já me espalhei, já ri e já chorei.
Tive de voltar a encarar a solidão e tive de reaprender tudo outra vez.
Só quando dói é que ensina, e todos os dias a vida me verga.
Mostra-me por onde devo ir, o que devo fazer, o que tenho de melhorar... 
fico muito feliz com as coisas boas mas sinto muito mais as menos boas. 
Sou um desnorteio pegado e o que tenho de muito feliz também tenho de muito infeliz.
Todos os dias o meu maior desejo é perder a ansiedade que me consome desde que me lembro de ser gente e que piorou com o passar dos anos.
Tenho tanto de forte como de vulnerável.

24 janeiro, 2018

A saga “Janeiral”

Não sei se te acontece (espero bem que sim, caso contrário as minhas suspeitas de que sou um ser estranho e raro confirma-se), mas, o Janeiro custa-me na pele.
Doí-me até! 
Não sei se foi por ter estado de férias. Não sei se é deste frio gélido como o raio em que uma pessoa não sabe mais o que vestir sem parecer 5kg mais gorda e sem passar frio ao mesmo tempo.
Não sei se sou eu que facilmente este mês me deita abaixo e eu deixo porque sou sensível que nem uma pena.
O janeiro é estranho. 
Vive-se tão calorosamente os últimos dias de Dezembro que acho que agora tenho saudades.
Sei lá... acho que sou efetivamente um ser muito estranho.
Deixa-me assim..... mais tristonha.
Costumo dizer que o trabalho resolve todos os meus problemas e de facto agarro-me ao trabalho com unhas e dentes na esperança que este mês acabe logo, na esperança de me esquecer do sentimento saudade, ora cá está, foi o Natal e tenho muitassss saudades da minha louca família.
Agarro-me muito ao trabalho para ver se volto a ser eu, mega independente, a correr de um lado para o outro e tão entretida que quando dou por mim já estou de fim de semana em casa a matar saudades.
Não consigo entender como há pessoas que não gostam de trabalhar.
Eu “marafome” com o meu trabalho, também tenho dias menos bons mas é aquilo que me mantém com a chama acesa. 
Às vezes dou por mim já à noite deitada na cama entre 4 paredes a pensar: “e agora?! Não tenho nada para fazer!”
Mas na verdade são só horas de desligar a pipoca e descansar.
Também vos acontece?! 
Por favor.... espero que sim. 😂🙏🏼
Bem.... acho que está na hora de desligar a pipoca!

Um beijinho da vossa Tomé 💛